Gripe ou resfriado? Você sabe a diferença?

destaque-364314-gripe

Resfriados

São extremamente comuns, afetando quase toda a população pelo menos uma vez ao ano. Seus sintomas são: dor e irritação na garganta, congestão nasal, coriza, tosse, espirros e febre baixa em raras ocasiões. Diferente da gripe, pacientes com resfriado não costumam ter a disposição prejudicada.

“O resfriado não costuma trazer tantos riscos como a gripe. Os sintomas da gripe são mais intensos e, na maioria das vezes, inviabiliza a realização de atividades diárias do doente”, explica a chefe do Centro de Epidemiologia da Secretaria da Saúde do estado do Paraná, Júlia Cordellini.

Gripes

São causadas pela família do vírus Influenza, tendo como principais características: febre alta, acima de 38ºC, e com início repentino, além de tosse persistente, dores musculares intensas e principalmente a dificuldade para respirar.

O vírus Influenza apresenta diferentes tipos e subtipos que produzem a chamada gripe ou influenza sazonal. A gripe tem início súbito e, na maior parte dos casos, sua cura é espontânea, entre sete e dez dias. Mas, em algumas situações, podem ocorrer complicações sérias como pneumonia e insuficiência respiratória, configurando um quadro denominado de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

Grupos Vulneráveis:

Nos casos de gripe, a atenção deve ser redobrada para as pessoas com mais de 50 anos, crianças menores de dois anos, gestantes e portadores de doenças crônicas. No Paraná, a maior ocorrência de mortes por gripe foi constatada na população acima de 50 anos, e pessoas com doenças crônicas, como alguma cardiopatia ou diabetes.

Por isso, é importante ficar atento aos sinais e procurar rapidamente um sistema de saúde em caso de suspeita da doença. A orientação é que a prescrição do antiviral Oseltamivir (Tamiflu) seja feita em todos os casos de suspeita da doença, mesmo sem a confirmação laboratorial, pois o medicamento é mais eficiente nas primeiras 48 horas do quadro gripal.